Política
Assista ao vídeo
"Se boato ocorreu, é do governo", diz capitão Wagner sobre recuo em cortes no MEC
Por:
Repórter João Boaventura Neto
Em 15/05/2019 às 08:15

Capitão Wagner na Tribuna da Câmara dos deputados (Foto: Reprodução)

Compartilhar

O líder do PROS, deputado cearense Capitão Wagner, usou a Tribuna da Câmara Federal e afirmou ter presenciado o presidente Jair Bolsonaro (PSL) ligar para o ministro da Educação, Abraham Weintraub, e determinar o recuo nos cortes da Educação. Assista ao vídeo no final da matéria.

"Se boato ocorreu e se o boato é barato, o boato é do governo. Não vou admitir, sendo aliado do governo, ser chamado lá no Palácio do Planalto para tratar uma questão séria como essa, presenciar o presidente da República pegar um celular, ligar para o ministro na presença de vários líderes partidários e, com todas as letras, o presidente disse ´a partir de agora o corte está suspenso´. Se o governo não sustenta o que o presidente falou na frente de 12 líderes parlamentares não sou eu que vou estar por mentiroso perante a nação", afirmou Wagner, revoltado, na Câmara.

"Como estava o líder do governo na Câmara, o líder do partido do presidente e vem a líder do governo no Congresso e diz que é boato? De quem é o boato? Quem criou o boato foi o governo, que voltou atrás e voltou atrás de novo. Recuou duas vezes. Não admito ser chamado de mentiroso”, reclamou em outro o parlamentar em outro trecho da fala.

Wagner disse ainda esperar que os deputados que estavam na reunião possam indagar o ministro da Educação se ele recebeu ligação do presidente. De acordo com ele, ou o ministro está mentindo, ou o presidente não ligou para ele. “Será que o presidente forjou a ligação na nossa frente? Tenho certeza que não. Então, que o governo possa se pronunciar e ter peito para dizer ´estou cortando mesmo e pronto´ ”, ponderou.

Wagner disse ainda que deseja ajudar o governo, mas que as confusões entre apoiadores de Bolsonaro levaram a uma crise de falta de comando no País.

Entenda

A informação foi dada pelos líderes do PSL, Delegado Waldir (GO), do Novo, Marcel Van Hattem (RS), do Podemos, José Nelto (GO), e do Cidadania, Daniel Coelho (PE). "O presidente falou que não haverá contingenciamento na pasta da Educação", disse Diego Garcia (Podemos-PR), que participou da reunião.

Estavam presentes ainda parlamentares de PV, PSC e Patriota. A reunião ocorreu às 18h, logo após a Câmara aprovar a convocação de Weintraub.

Após deputados narrarem a ordem de recuo no MEC, a Casa Civil desmentiu em nota: "Não procede a informação de que haverá cancelamento do contingenciamento no MEC. O governo está controlando as contas públicas de maneira responsável".

Compartilhar

Mais do Site Miséria

Enquete
Eleições 2020: Você acha que os pré-candidatos são muito antecipados em anunciar uma pré-candidatura ainda em 2019?

Qual seu sexo?

timelineResultado Parcial
TV Miséria
Humor