Ceará
Telefonia móvel
Velocidade da banda larga no Ceará está acima da média do Brasil
Em 18/08/2018 às 08:20

Estudo aponta que, atualmente, a velocidade para download no Estado varia entre 9,19 e 24,80 megabytes por segundo (Foto: JL Rosa)

Compartilhar

Ponto de maior conexão de cabos submarinos da América Latina e detentor de uma das mais extensas infraestruturas de fibra ótica em terra do País, o Ceará começa a apresentar a primeira e mais básica característica de desenvolvimento no setor de telecomunicações: uma velocidade acima da média nacional.
Dados divulgados na última semana pela Ookla a partir do aplicativo Speedtest apontam que a velocidade para download no Estado varia entre 9,19 megabytes por segundo (Mbps) e 24,80 Mbps, dependendo da operadora.

As taxas, no entanto, oscilam bastante ao redor da média internacional, segundo indica o mesmo estudo, que mapeia a velocidade de conexão via smartphone pelo mundo. No Brasil de uma maneira geral, a taxa de download é quase três vezes inferior à melhor conexão do globo (62,63 Mbps) e 3 Mbps abaixo da média (22,81 Mbps).

Com 19,20 Mbps para baixar arquivos da internet e 7,86 Mbps para subir, o Brasil ficou em 70º no ranking do Speedtest, o qual corresponde a indicadores colhidos até julho deste ano em smartphones de sistema Android e também iOS.

"Nós colocamos a maior ênfase nas velocidades de download e velocidades medianas como aqueles que representam o que a maioria das redes clientes de provedores experimentarão no dia a dia", aponta o estudo, que não traz a mediana de conexão do Estado do Ceará.

Ranking das operadoras

O estudo revela no Estado que o usuário cearense tem na Claro a operadora com melhor desempenho. O máximo de 24,80 Mbps foi registrado pela companhia, que afirma ter investido na rede local, via fibra ótica, nos últimos quatro anos.

"Hoje, a Claro é a operadora que tem a segunda maior cobertura no Estado, tanto no DDD 85 quanto no 88. Das 184 cidades, cobre 144. Em termos de população é o Estado que a gente mais tem cobertura no Nordeste, exceto por Bahia e Sergipe", destaca o diretor Para a Região da operadora, André Peixoto.

Ele conta do trabalho de erradicação o 2G pela Claro e da preparação da rede com postes que possibilitam a instalação de até quatro antenas de transmissão e recepção, "o qual multiplica quantidade de canais, de modulação...E tudo isso o usuário percebe através de mais velocidade e reconhece a latência, que está diminuindo muito".

Segunda colocada no ranking de velocidade, a Vivo alcançou a marca de 18,74 Mbps e creditou o desempenho ao trabalho de ampliação da infraestrutura em todo o País, pelo qual está aplicando recursos da ordem de R$ 26,5 bilhões a partir de 2018 a 2020. "No Ceará, a Vivo é líder em cobertura 3G com 145 municípios atendidos. No 4G, a Vivo leva sua tecnologia a 72 cidades cearenses e está presente em Fortaleza, Caucaia e Maracanaú com cobertura de fibra ótica", aponta a companhia.

Por sua vez, a Oi, com a terceira melhor taxa (12,11 Mbps), diz que tem investido na expansão da capacidade da rede e que estes "os investimentos durante esse ano estão voltados para a melhoria da qualidade de experiência dos nossos clientes, expansão da rede 4G, assim como no avanço da implantação da rede de fibra ótica de alta velocidade e digitalização".

Já a TIM, quarta em download no Estado com 9.19 Mbps, aponta a estratégia de utilizar parte das redes 2G e 3G ociosas para expandir e combinar frequências na tecnologia 4,5G como forma de melhorar a experiência do usuário, uma vez que essa ação promete até o dobro da velocidade atual. Além disso, a operadora leva o sinal a "138 municípios cearenses com a tecnologia 4G, atendendo a 96% da população urbana do Estado, e uma base de aproximadamente 1,5 milhão de clientes". "Este grande avanço na cobertura posiciona a empresa na liderança do alcance do sinal de quarta geração, proporcionando uma melhor experiência para os usuários", completa.

Melhora insuficiente no País

Mês a mês, os indicadores nacionais apontam crescimento desde julho do último ano, mas isso não foi suficiente para alterar a colocação do País no ranking do Speedtest. Liderado pelo Qatar (62,63 Mbps) por mais uma edição, o ranking conta ainda com Norway (57,31 Mbps) e Emirados Árabes Unidos (55,17 Mbps) no pódio. Polos de tecnologia reconhecidos mundialmente, como Estados Unidos (27,40 Mbps) e Japão (25,77 Mbps), no entanto, estiveram em 48º e 52º, respectivamente.

No entanto, o Brasil esteve abaixo de países cuja conexão via cabo de fibra ótica não são tão reconhecidas, a exemplo da 27ª Turquia (33,91 Mbps) e o 41º Kuwait (29,25 Mbps). Vizinhos sul-americanos, como o 56º Uruguai (24 Mbps) e o 61º Peru (21,62 Mbps), também obtiveram médias de conexão melhores que as brasileiras.

O teste

Ao coletar dados dos aplicativos usados por usuários de Android e iOS em todo o globo, a Ookla explica que "ao analisar as operadoras mais rápidas, considera apenas as principais operadoras (todas as teles com 3% ou mais do total de amostras de teste no mercado para o período)". "Em seguida, determinamos a operadora mais rápida usando o Speed Score, que incorpora uma medida da velocidade de download e upload de cada provedor para classificar o desempenho da velocidade da rede (90% da pontuação final de velocidade é atribuída à velocidade de download e os 10% restantes à velocidade de upload)", detalha.

Fonte: Diário do Nordeste

Compartilhar

Mais do Site Miséria

Enquete
Qual tipo de notícia regional você quer acompanhar com mais frequência no Site Miséria?

Qual seu sexo?

timelineResultado Parcial
TV Miséria
Humor