Domingo
23 de Setembro de 2018
Publicidade
Publicidade
Domingo, 23 de Setembro de 2018
Publicidade
Publicidade
Pontífice

Papa culpa pedofilia por queda no número de padres

Em 29/08/2018 às 08:35
Compartilhar
(Foto: Reprodução/ Terra)

O papa Francisco voltou nesta quarta-feira (29) a se pronunciar sobre o escândalo de pedofilia na Igreja Católica, após ter sido acusado pelo arcebispo italiano Carlo Maria Viganò, ex-núncio apostólico em Washington (EUA), de ter acobertado abusos sexuais cometidos pelo ex-cardeal norte-americano Theodore McCarrick.

Em sua audiência geral semanal, no Vaticano, o Pontífice disse que as autoridades eclesiásticas "não souberam enfrentar esses crimes de maneira adequada" e citou o caso da Irlanda, país do qual voltou recentemente e onde os escândalos causaram "dor e sofrimento".

"O encontro com alguns sobreviventes me deixou uma marca profunda. Em diversas ocasiões pedi perdão ao Senhor por esses pecados, pelo escândalo e pelo senso de traição. Os bispos irlandeses iniciaram um sério percurso de purificação e reconciliação com aqueles que sofreram abusos", disse.

O Papa ainda afirmou que "esses problemas" estão entre os motivos da queda do número de padres. "Na Irlanda há fé, há gente de fé, é uma fé com grandes raízes, mas há poucas vocações para o sacerdócio", acrescentou.

A acusação contra o Papa está em uma carta de 11 páginas divulgada no último fim de semana e escrita por Viganò, ligado às alas conservadoras da Igreja e opositor de Francisco dentro do clero.

Segundo o documento, o arcebispo alertou Jorge Bergoglio logo no início de seu pontificado de que Bento XVI havia ordenado que McCarrick, hoje com 88 anos, adotasse uma vida de reclusão e penitência por causa das denúncias de que teria abusado de seminaristas e jovens padres.

Mais tarde, o prelado norte-americano seria também acusado de violentar um adolescente na década de 1970, o que o faria ser tirado do colégio cardinalício, em julho passado. De acordo com Viganò, Francisco não tomou na época nenhuma atitude contra McCarrick. "Falei porque agora a corrupção chegou às lideranças da hierarquia da Igreja", disse o arcebispo em entrevista ao jornalista Aldo Maria Valli.

O escândalo estourou enquanto o Papa visitava a Irlanda, país onde pediu desculpas em diversas ocasiões pelos crimes de pedofilia e abuso sexual na Igreja. Na viagem de volta a Roma, Bergoglio afirmou que a carta de Viganò "fala por si" e que não faria comentários a respeito.

Terra

Publicidade
Compartilhe
Comentários
Publicidade
Publicidade
Publicidade
TJ Seguros
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
© ACONTECEU, TÁ NO MISÉRIA
Quer reproduzir nosso conteúdo no seu blog ou site? Estabeleça uma parceria clicando aqui.
Desenvolvido por Kleber Ferreira