Terça-feira
25 de Setembro de 2018
Publicidade
Publicidade
Terça-feira, 25 de Setembro de 2018
Publicidade
Publicidade
Protestos

Centenas de manifestantes são detidos na Rússia em dia de eleições

Em 09/09/2018 às 17:20
Compartilhar
Protestos foram organizados contra a reforma da previdência, que prevê aumento na idade para aposentadoria (Foto: Reprodução/ Notícias ao Minuto)

A polícia russa deteve pelo menos 839 manifestantes, neste domingo (9), em ato contra uma impopular reforma da previdência. A maioria das detenções ocorreu em São Petersburgo - segunda maior cidade do país - e em Ekaterimburgo, segundo a organização OVD-Info, especializada em casos de detenções.

Em Moscou, cerca de 2.000 pessoas concentraram-se sob apertada vigilância policial na praça Pushkin, no centro da capital russa, gritando "Putin é um ladrão", segundo jornalistas da ´AFP´ que estavam no local. Em São Petersburgo, cerca de mil pessoas manifestaram-se gritando "vergonha".

Fotografias e vídeos divulgados por opositores mostram vários episódios de violência policial contra os manifestantes.

Há alguns meses as autoridades se confrontam com a impopularidade de um projeto do governo destinado a aumentar a idade mínima para aposentadoria, inalterada desde 1932. A expectativa média de vida na Rússia é de 66,5 anos, segundo dados de 2016 do Banco Mundial.

A alteração da idade para aposentadoria foi anunciada pelo governo em junho. Contudo, no final de agosto, o presidente Vladimir Putin informou alterações no projeto, por conta de uma queda acentuada da sua taxa de popularidade.

Putin anunciou que a idade da aposentadoria das mulheres passará dos 55 anos para os 60, e não para os 63, como inicialmente previsto, mas não anunciou nenhuma alteração no caso dos homens, cuja idade de aposentadoria, atualmente de 60 anos, passa para 65 na nova legislação.

O protesto ocorre num dia em que os russos são chamados às urnas para eleições de governadores e de vários representantes do poder local.

A eleição em Moscou, que é a mais simbólica, deve levar à reeleição do atual presidente da câmara, Serguei Sobianine, na ausência de uma oposição real e com um forte apoio do Kremlin e do partido no poder, Rússia Unida.

Os resultados definitivos destas eleições são esperados para a segunda-feira (10).

NoticiasaoMinuto

Publicidade
Compartilhe
Comentários
Publicidade
Publicidade
Publicidade
TJ Seguros
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
© ACONTECEU, TÁ NO MISÉRIA
Quer reproduzir nosso conteúdo no seu blog ou site? Estabeleça uma parceria clicando aqui.
Desenvolvido por Kleber Ferreira